Análises toxicológicas podem ajudar nos programas de prevenção às drogas

O professor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Saulo Rios Mariz, proferiu palestra no 44º Congresso Brasileiro de Análises Clínicas, em João Pessoa (PB), sobre o papel das análises toxicológicas na prevenção ao uso indevido de drogas. Segundo ele, os testes toxicológicos são uma ferramenta importante para um programa maior de prevenção, seja no ambiente de trabalho, nas escolas, entre atletas ou para a análise médica no uso de psicofármacos.

“Há várias possibilidades e públicos para se aplicar esses testes e usá-los como estratégia de prevenção ao uso de drogas. No entanto, é preciso haver uma melhor regulamentação, inclusive aos métodos utilizados pelos laboratórios, que podem eliminar o resultado negativo, mas ser um falso positivo”, disse o professor.

Ele ainda destacou que os testes deveriam ser usados para a construção de medidas preventivas e não para discriminação ou motivo de demissão do trabalho. “Nos Estados Unidos, essas análises são feitas nas escolas e os pais estão cientes disso. Aqui no Brasil não é permitido. Mas vale a discussão se seria interessante ou não”, destacou Saulo.

Ele também acrescentou que outra aplicação interessante dessas análises seria no uso de psicofármacos receitados pelos médicos. Com os testes periódicos, o médico pode avaliar se a substância está funcionando bem, se está em um nível ideal ou não. “Com isso, o médico pode dosar os níveis da droga e reformular ou não sua receita”, completou.