Turma Recursal mantém sentença e isenta laboratório em caso de hematoma após coleta de sangue

A Segunda Turma Recursal Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul manteve a decisão de primeira instância em ação movida por paciente contra um dos mais tradicionais Laboratórios da Capital Gaúcha, no qual era buscada indenização por danos em vista da ocorrência de hematomas após coleta de sangue.

Segundo a decisão do Tribunal, foi produzida prova nos autos no sentido de que os hematomas, além de corriqueiros e não demandarem maiores preocupações, certamente seriam decorrentes da fragilidade das veias da paciente, eis que periodicamente fazia uso da medicação PURAN T4.

No entendimento, existiam evidência de que a especial condição da autora colaborou de forma decisiva para que houvesse o surgimento dos hematomas.

Eis a ementa do acórdão:

EXTRAÇÃO DE SANGUE. HEMATOMAS.
Evidenciada pela prova que provavelmente decorrerem da fragilidade das paredes das veias decorrentes de ingestão de determinada medicação. Inexistência de conduta culposa do laboratório ao extrair sangue da autora. Negado provimento ao recurso.

Para maiores informações, consulte nossa Assessoria Jurídica, pelo email [email protected]